24 de dez de 2010

Mais que Amigos - cap II


     No capítulo anterior:
- Então, senti que era hora de dizer isso a você. Afinal, não fazia sentido eu esconder tudo o que eu sinto de você.
- Hum, mistério! Vamos, diga. – e sorri, não agüentava mais de ansiedade.
- Estou apaixonado, Marina. – e os olhos dele brilharam, e os meus também.

     No capítulo II:

- É mesmo?! – fingi surpresa, mas o sorriso enorme apareceu logo depois no meu rosto. Eu estava feliz! E tinha motivos de sobra pra isso, afinal o meu melhor amigo, que eu amava secretamente desde os 10 anos de idade, finalmente ia se declarar.
- É. Me desculpa não ter te dito isso antes, por favor não fique brava comigo. – ele disse meio sem graça, como se tivesse feito algo errado.
- Que isso Davi, imagina se eu ia brigar com você por isso. Eu entendo que só agora você achou que era o momento de me dizer isso.
- Nossa Marina, eu sabia que você ia entender. Eu disse pra Camila que nós podíamos contar pra você, você ia compreender. Você é a minha melhor amiga, eu queria ter te contado antes.
- Camila? A Camila sabia que você está apaixonado?! – eu estava começando a ficar confusa – Como ela sabia?
- Sim, eu e a Camila estamos namorando. Eu tô gostando muito dela...
PARA O MUNDO QUE EU VOU DESCER! Hã? Como assim? Eu tava mais perdida do que tudo. Ele continuava falando e eu nem conseguia mais escutar. Estava ocupada processando a idéia. As minhas mãos estavam suando frio, uma sensação horrorosa tomou conta do meu corpo, parecia que alguém estava espremendo o meu estômago, uma dor forte no peito, comecei a sentir falta de ar.
-Marina? Marina? – ele tocou o meu ombro, me chamando.
- O quê?
- É, eu sei que você está confusa e pelo visto surpresa, você nem piscou – ele riu.
Ele achava engraçada a minha reação?! Queria ver ele sentir o mesmo que eu, pra ver se ele ia achar graça.
- Como você e a Camila estão namorando? Você nem me disse que estavam ficando. – eu parecia confusa, mas no fundo eu estava indignada. A Camila era a puta da escola, ficou com pelo menos metade da minha turma, como ele podia gostar dela? Ah, claro que ele podia. Ela era morena, tinha seios grandes, bunda empinada, ía na academia todos os dias, cabelos lisos. Homens! Se deixam seduzir por qualquer par de seios que dançam pra eles.
- É, incrível né?! Quem ia imagina que ela me dava maior mole?
Eu conseguia imagina muito bem ela dando mole pra escola inteira. Na verdade, eu nem precisava imagina, porque ela realmente fazia isso.
- Pois é né?! Como isso começou? – ai, pra que eu queria saber? Eu devia levantar e ir embora, nunca mais olhar na cara do Davi.
- Foi no futsal. Ela começou a ir nos treinos, nos jogos. A gente foi conversando, se conhecendo, até que num jogo a galera botou a maior pilha e eu pedi pra ficar com ela e ela aceitou. – ele contou com o maior sorriso do mundo.
Eu me senti péssima, por quê eu não fui mais vezes aos jogos, por quê eu nunca fui ao treinos?
- Ah, quem ia imaginar né? – eu disfarcei. Na verdade eu estava louca pra ir embora correndo dali chorar.
- Pois é! E ela é tão legal, você tem que conhecer ela melhor. Tenho certeza que vocês serão amigas e quem sabe quando você arrumar alguém nós poderemos fazer um programa de casais.
Eu precisava sair correndo dali e vomitar. Não conseguia acreditar nos planos dele. que idiota, não é possível que em todos esses anos ele nunca notou que eu gostava dele.
- Davi, eu preciso ir. A minha mãe quer que eu passe na casa da minha vó pra buscar a minha irmãzinha. – não podia ficar ali ouvindo ele falar da Camila. Eu precisava ir pra casa e chorar até meus olhos sumirem.
- Ah claro, quer companhia? – ele sorriu daquele jeito irresistível, mas dessa vez eu estava magoada demais, o suficiente pra resistir.
- Não precisa. Eu vou sozinha mesmo. Tchau.
- Tchau, te vejo segunda na aula.
Olhei ele uma última vez, e sorri, pena que ele não era capaz de perceber que aquele sorriso era de tristeza.
Fui para a praia, porque se fosse pra casa, a minha mãe ia me encher de perguntas e eu não estava afim de falar nada com ninguém. Queria ficar sozinha. Era fim de tarde, o céu estava num tom diferente, meio roxo e azul. Tirei o sapato, sentei na areia e comecei a chorar.

(continua)

3 comentários:

Anonymous disse...

Estou adorando a historia *-* por enquanto está meio triste, mas estou achando muito legal pois já vivi algo parecido xD vou continuar acompanhando ^^ ps: amo a escritora s2 ushuahsuaush brinks

Kelly B. disse...

Ama a escritora? oiaoaioaioa

Kelly B. disse...

Obrigada Anônimo. *-*

Postar um comentário

Me diga o que quiser. Críticas? Elogios? Ideias? Precisa conversar ou quer um conselho? Fique a vontade pra escrever nesse espaço.