9 de fev de 2011

Mais que Amigos - cap XI


Os lábios dele eram tão quentes e úmidos e o jeito como ele me abraçava. Não tinha como não ficar arrepiada. Ele era um idiota que beijava muito bem, não podia negar esse fato. Eu estava gostando demais de sentir aquilo. Ele colocou a mão debaixo da minha blusa, senti meu corpo inteiro endurecer.
VROOOM! VROOOOM! Que barulho era esse?

- Vem cá Azedinha – ele me puxou pra si.
- Que barulho foi esse? Ah! Meu celular – eu reconheci o som da vibração do celular em cima do móvel. Eu me levantei e fui olhar. Era o Davi. Por que ele estava me ligando? Nós não estávamos brigados?
- Deixa esse celular pra lá – o Matheus tirou o celular da minha mão e jogou ele na cama.
- Não – mas era tarde demais. O Matheus me pegou e me colocou na parede e começou a me beijar na intensidade que tínhamos parado. Mas eu não estava mais afim, estava pensando no Davi e no por que dele estar me ligando.
- Não Matheus! Para – e tentei me afastar dele.
- Minha Azedinha linda – ele sussurrou no meu ouvido e fixou o olhar no meu – estamos indo rápido demais pra você né? Tudo bem, eu vou te respeitar. Não vou te forçar a fazer nada, ok?
- Ok.
Ele me deu um beijinho suave na boca e saiu do meu quarto. Quando eu o vi saindo pela porta eu fiquei triste, não sei por quê. Agora era só eu e o celular tocando com o Davi do outro lado da linha. O meu coração tava apertado, senti um nó na garganta. Eu só não sabia se aquela sensação ruim era por causa do Matheus ou do Davi. Então o celular parou de tocar. Eu peguei ele, 2 ligações perdidas do Davi. Sentei na cama e fiquei olhando pro celular pensando se eu deveria retornar a ligação. Fiquei um bom tempo pensando nas palavras do Davi e no que ele tinha me feito sofrer. Depois pensei no Matheus e como ele estava sendo legal comigo desde o vestiário, mesmo eu tendo tratado ele tão mal. Pensei que o Davi não tinha confiado em mim, de todas as coisas essa foi a que mais me doeu. Pensei no Matheus e em como ele era um babaca, mas no fundo eu tinha me divertido na cachoeira, embora nunca fosse contar isso pra ele. Pensei em como o Davi fazia meu coração disparar, só de pensar nele. Levantei e fui para a janela, apesar do dia frio, era um bonito dia. Lá fora perto do balanço estava o Matheus sentado no chão olhando pra cachoeira. Então me lembrei que quando estávamos na cachoeira meu coração estava acelerado, lembrei de como tinha gostado do beijo dele e em como ele tinha me respeitado quando eu disse não.
Desliguei o celular e guardei ele no criado mudo. Saí correndo pelas escadas, minha mãe resmungou algo, mas eu nem consegui decifrar o que ela disse. Corri até perto do balanço e parei. O Matheus olhou pra trás e se levantou. Eu senti minha respiração ofegante. Ele sorriu.
- Você se tornou o idiota mais fofo que eu conheço. Parabéns! Você me ganhou – eu sorri e corri na direção dele.
Ele também veio na minha direção com aquele sorriso lindo. Eu pulei no colo dele, ele me rodou no ar. Ele fixou o olhar no meu. Então eu sorri e beijei ele.

(continua aqui)

3 comentários:

Anonymous disse...

Mais mais

rayanna disse...

amei
mais mais muiito curiosa

João disse...

awn que fofa *-* ashausha
estou amando a historia s2

Postar um comentário

Me diga o que quiser. Críticas? Elogios? Ideias? Precisa conversar ou quer um conselho? Fique a vontade pra escrever nesse espaço.